Assessoria de Imprensa

Evite armadilhas na hora de escolher o curso de idiomas


Pesquisar na internet informações sobre a unidade de ensino a ser escolhida pode evitar possíveis transtornos para os estudantes
Cliente: 
Seven Idiomas
Evite armadilhas na hora de escolher o curso de idiomas
Falar outro idioma, de preferência o inglês, sem dúvida, pode ser o diferencial para uma organização optar entre um e outro profissional. Porém, como escolher, entre tantos cursos e cargas horárias, a melhor opção de ensino que realmente faça ingressar no mundo bilíngue, ou, melhor ainda, no universo poliglota, dominando mais de dois idiomas?
 
Para Débora Schisler, engenheira de educação da Seven Idiomas, “existem muitas armadilhas em alguns cursos de idiomas do mercado. Para aprender uma outra língua é vital aprender a escrever e ler, além de, claro, falar com segurança. Além do estudo e foco do aluno, que devem ser constantes, é extremamente importante as escolas de idiomas oferecerem aos estudantes desafios que os façam ter que agir e pensar em inglês, espanhol ou outro idioma”.
 
Algumas situações reais, “como pedir informações num aeroporto, nas ruas sobre determinados lugares ou pontos turísticos, se alimentar num restaurante ou lanchonete são tarefas simples do dia a dia de um turista em outro país, e muitas vezes os alunos, após estudarem anos em algumas escolas ou em cursos rápidos, não se sentem seguros para vivenciar e aproveitar ao máximo a oportunidade de aperfeiçoar o idioma”, revela Débora.
 
Esse problema acontece porque muitas escolas de idiomas não seguem o padrão internacional de níveis do CEFR (Common European Framework of Reference for Languages), que determina o que um estudante deverá produzir em cada nível. “Isso quer dizer que um aluno do nível avançado de uma escola que segue esse padrão estará realmente avançado em qualquer lugar do mundo que utiliza o mesmo padrão. Garantindo, assim, que o estudante não seja surpreendido e que o nível avançado que atingiu numa determinada escola seja, por exemplo, na realidade um nível pré-intermediário no padrão internacional”, afirma Débora.
 
Dados da Belta (Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais) revelam que no ano passado, cerca de 170 mil brasileiros entraram em algum tipo de programa de trabalho ou estudo no exterior. Em 2004 esse número era de 42 mil. O crescimento esperado para 2011 é de 20% a 25%, devido à valorização do real.
 
A engenheira de educação da Seven Idiomas elenca algumas dicas que podem ajudar os estudantes a evitar as armadilhas para quem busca aprender ou mesmo aperfeiçoar outro idioma:
 
  • Não se aprende outro idioma satisfatoriamente em alguns meses apesar de ser um desejo de todos. Aprender, com qualidade, outro idioma, requer tempo, disciplina e muita prática. Desconfie de métodos que prometem nível avançado em menos de três anos;
  • Conheça a forma de aprendizado da escola. É necessário que exista um balanceamento entre a prática e a teoria ensinada na sala de aula. Peça para participar de uma aula antes de fazer sua escolha;
  • Pergunte sobre a formação do corpo docente da escola;
  • Pergunte que outros tipos de apoio a escola oferece para auxiliá-lo na aprendizagem, como aulas de apoio, aulas de reforço, biblioteca, eventos ou outros tipos de atividades;
  • Pesquise e avalie as informações que existem na internet, fóruns de estudantes e blogs sobre diversas escolas de idiomas. Se possível, converse com alguém que já tenha estudado na mesma rede para obter informações mais detalhadas;
  • Existem sites especializados em reclamações de alunos. Caso existam reclamações sobre a escola, veja o número de queixas e suas respectivas soluções (caso tenham sido solucionadas);
  • Cuidado com as armadilhas na hora de comprar o material didático. Adquirir o material de todos os níveis do curso de uma só vez pode te manter ‘refém da escola’. Caso você desista não poderá devolver o material, mesmo se não tiver utilizado;
  • Leia atentamente o contrato, especialmente as cláusulas de desistência. Há centenas de reclamações de alunos na internet motivados por não devolução de cheques após a desistência do aluno;
 
Saiba mais: Débora Schisler é engenheira de educação da Seven Idiomas, rede de franquias com mais de 24 anos de experiência no ensino de inglês e espanhol. A Seven busca estimular o aprendizado através de sete inteligências (verbal, lógica, musical, interpessoal, espacial, intrapessoal e cinestésica). A rede, que possui 12 mil alunos e atende com serviços específicos em 16 colégios e mais de 200 empresas, também possui em sua carteira de clientes grandes empresas conveniadas, entre elas: Unilever, Nielsen, LG e Bayer. www.sevenidiomas.com.br 
 

Depoimentos

“Acho o trabalho da Ato Z bárbaro. Os profissionais têm muito cuidado com os clientes. Nos tratam com amizade, cuidado e carinho. É uma parceria que funciona...

Leandro Montesino

do MMeilus Studio

Notícias

Assessoria de imprensa gera autoridade para profissionais e empresas que desejam ser referência
A autoridade cria uma distinção entre você e o restante do mercado. De quem as pessoas querem comprar?
Saiba Mais
Sua empresa tem planejamento para 2017?
Conteúdo e relacionamento estratégicos podem tornar sua marca referência nacional
Saiba Mais
Cia de Franchising é o novo cliente da Ato.Z Comunicação Inteligente
Assessoria de imprensa nacional e produção de conteúdo
Saiba Mais
45 DIAS FREE. BLACK WEEK: PACOTE DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO PARA UM ANO
A sua marca precisa de conteúdo estratégico?
Saiba Mais
Assessoria de imprensa para atuação nacional Assessoria de imprensa para expansão de redes de franquias
Assessoria de imprensa estratégica para atuação nacional
Saiba Mais

Newsletter

Receba novidades sobre o mercado de comunicação empresarial e sobre a Ato Z Comunicação. Cadastre-se!