Notícias


Rede Bom Dia chega ao Vale do Paraíba

Ao completar cinco anos, jornal passa por reformulação gráfica e anuncia entrada no Vale do Paraíba
Rede Bom Dia chega ao Vale do Paraíba

Ao completar cinco anos no último domingo, 26 de setembro, a Rede Bom Dia de jornais, do Grupo Traffic, presenteou os leitores com uma reformulação gráfica, assinada pela consultoria espanhola Innovation, também responsável pelo projeto gráfico e editorial do Diário de S. Paulo, outro diário controlado pela empresa de J.Hawilla, relançado em julho passado. O título também anunciou a entrada no mercado do Vale do Paraíba, com o lançamento de edições em São José dos Campos e Taubaté, previstas para 15 de novembro.

A entrada na região, uma das mais ricas do interior paulista, se dará por meio de uma parceria com o empresário Fernando Salerno, dono da Vale Bravo Editorial, que edita o jornal O Vale – que continuará circulando em 39 cidades da região. Para a nova empreitada, Salerno criou a Alliance Editorial, que negociou com Hawilla os direitos de explorar a marca Bom Dia no Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira, litoral Norte e região bragantina, área que engloba 55 cidades e cerca de 2,5 milhões de pessoas.

"O Bom Dia amplia sua participação no mercado entrando na segunda maior região do interior paulista. Isso nos permitirá editar novas edições. Em três anos devemos lançar o Bom Dia Jacareí. Queremos estar nas oito principais cidades da região", aponta Salerno, citando cidades como Pindamonhangaba, Guaratinguetá, Caraguatatuba e Aparecida. Inicialmente, as edições de São José dos Campos e Taubaté circularão nos 39 municípios de abrangência de O Vale, por meio de um acordo de distribuição. A tiragem inicial dos dois títulos será de 10 mil exemplares.

Hélcio Costa será o editor-chefe dos jornais, enquanto Tânia Campelo será a editora-executiva. Ambos ficarão na redação central de São José dos Campos. Também será criado um escritório em Taubaté.

Ao todo, a equipe terá 15 pessoas responsáveis pela produção do conteúdo local. O regional, por sua vez, será fornecido pela sede do Bom Dia. O preço de capa será R$ 0,50 e o formato, o berliner, que está sendo adotado na reformulação gráfica. "O preço é o grande charme para quebrar a barreira de acesso à informação", diz Salerno, que responderá como diretor responsável dos títulos.

Cinco anos

"A rede saiu do zero para ter oito jornais com circulação de 30 mil exemplares nos dias de semana e de 40 mil aos domingos. Comercialmente, estamos felizes. O faturamento tem crescido bastante, acima da média do mercado. Em 2010, estamos crescendo 40%. A Rede Bom Dia trouxe conceitos novos, como uma mesma marca em várias regiões, o conteúdo comum em conjunto com o local e a inovação de trazer parceiros afiliados", conta Flávio Pestana, diretor geral da rede de jornais.

Ainda de acordo com Pestana, a parceria com Fernando Salerno é por período indeterminado e quebra um paradigma, pois manterá O Vale ocupando outro espaço no mercado. "Chegamos à conclusão de que, em alguns mercados, como lá, é importante manter um jornal de abrangência e com um público tradicional e mais velho", diz Pestana, lembrando que o Bom Dia busca o público mais jovem. Pelo acordo, a Alliance tem 100% da receita publicitária e de venda de assinaturas e de exemplares em banca na região, além de uma parte majoritária da comercialização dos anúncios nacionais veiculados nos títulos na região.

 

Meio & Mensagem

Jornais preveem sobrevida longa no Brasil

Nos EUA, veículos debatem extinção do papel e migração para online enquanto que, no País, os maiores diários registram aumento de tiragem
Jornais preveem sobrevida longa no Brasil

Nos EUA, discute-se a eventual extinção do jornal no papel, assunto que volta à tona com o eventual fim do The New York Times (NYT) e sua migração para o ambiente virtual. O debate retornou à pauta depois que um importante executivo do jornal afirmou que, um dia, talvez, o NYT em papel acabe. No Brasil, grandes veículos como O Estado de S.Paulo, a Folha de S.Paulo, O Globo, O Estado de Minas e o Zero Hora, ao contrário, comemoram o crescimento do meio papel e a complementaridade com as novas plataformas como a internet, o telefone móvel e tablets, como o iPad. Na avaliação de alguns executivos, os tablets permitem que os jornais, descontruídos pelos sites na internet, voltem a se organizar, num formato de hierarquia de notícias bastante similar ao impresso.

"O papel está mais vivo do que nunca. Prova disso é que crescemos. O Estado de São Paulo é um dos jornais que mais cresce este ano. No Brasil, segundo nosso planejamento para os próximos cinco anos, o papel estará presente", afirma o diretor de conteúdo do jornal, Ricardo Gandour.

O executivo diz que, se o online foi um avanço sobre o papel, a presença do jornal em um dispositivo como o tablet iPad significa um resgate da hierarquia da informação. "A web é instantânea, mede a temperatura do mundo. O papel organiza o contexto, dá a análise. E, no iPad, há a convergência da edição de papel com recursos digitais", diz Gandour, ao equiparar as plataformas evolutivas pelas quais tem passado o veículo. "Se a web havia desconstruído a edição de papel, o iPad resgata a organização da informação".

"É muito cedo para falar que o papel será extinto. Mas, certamente, alguns leitores optarão por ler jornal pela internet ou pelos leitores digitais, como o iPad", opina o diretor executivo dos Diários Associados, Geraldo Teixeira da Costa Neto, que responde pelo jornal O Estado de Minas. "O Zero Hora cresceu com a internet. De 1996 a 2009, teve um aumento de 19% de circulação em papel, a preço premium (faixa dos grandes jornais)", diz o diretor geral de produto do Grupo RBS, Marcelo Rech. O Grupo RBS edita o Zero Hora, do Rio Grande do Sul, o Diário Catarinense, de Santa Catarina, e mais seis jornais.

Conteúdo fechado

"Desde sempre, nossa estratégia é fechar o conteúdo publicado no jornal impresso e deixar as atualizações em aberto para todo o público ao longo do dia, pelo online. Esse conteúdo fechado pode ser acessado por assinantes do Estado de Minas e do provedor Uai ou por meio de assinaturas específicas no online", diz Costa Neto, dos Diários Associados, que editam O Estado de Minas, o Correio Braziliense e o Diário de Pernambuco, entre outros. Até novembro, o Estado de Minas também deverá ter um aplicativo disponível no iPad.

"Diferentemente dos EUA, onde a circulação dos impressos tem queda acentuada, no Brasil o cenário do meio jornal é outro", reforça a diretora executiva da unidade O Globo, Sandra Sanches. Para o segundo semestre, O Globo aposta em crescimento de aproximadamente 3,5% na circulação frente ao mesmo período de 2009. E também nas demais plataformas.

A Folha de S.Paulo desenvolve um novo projeto que pretende embalar o conteúdo de dois mundos e transformá-lo num terceiro produto, que une o imediato e o analítico, informa o diretor executivo de circulação do veículo, Murilo Bussab. "Existem dois mundos: um é do momento atual, de hard news, 24 horas por dia, com textos curtos e manchetes pontuais, no portal folha.com. O outro é mais analítico, que hierarquiza e trata o que aconteceu nas últimas 24 horas. Antes da internet, isso era nítido. Hoje, as produções e plataformas estão misturadas", explica Bussab, que defende a permanência do papel: "O produto mais rentável é o impresso."
 

M&M Online

Virada Imobiliária é o novo cliente da agência e ganha destaque na mídia

-
Virada Imobiliária é o novo cliente da agência e ganha destaque na mídia

A Ato Z Comunicação amplia sua atuação no segmento de feiras de negócios e assume a conta da Virada Imobiliária, organizada pela Promocorp Marketing e Negócios. Com os objetivos de oferecer mais de R$ 3 bilhões em crédito imobiliário facilitado e atrair cerca de 130 mil visitantes interessados na compra de um imóvel, o evento será realizado no Expo Center Norte, em São Paulo.

Em aproximadamente 20 dias, o evento conseguiu mais de 60 inserções gratuitas nas mídias impressas e online. Entre os destaques estão: Folha de S. Paulo, DCI, Zap Imóveis e os principais portais imobiliários do país.
 

Depoimentos

“Acho o trabalho da Ato Z bárbaro. Os profissionais têm muito cuidado com os clientes. Nos tratam com amizade, cuidado e carinho. É uma parceria que funciona...

Leandro Montesino

do MMeilus Studio

Notícias

Assessoria de imprensa gera autoridade para profissionais e empresas que desejam ser referência
A autoridade cria uma distinção entre você e o restante do mercado. De quem as pessoas querem comprar?
Saiba Mais
Sua empresa tem planejamento para 2017?
Conteúdo e relacionamento estratégicos podem tornar sua marca referência nacional
Saiba Mais
Cia de Franchising é o novo cliente da Ato.Z Comunicação Inteligente
Assessoria de imprensa nacional e produção de conteúdo
Saiba Mais
45 DIAS FREE. BLACK WEEK: PACOTE DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO PARA UM ANO
A sua marca precisa de conteúdo estratégico?
Saiba Mais
Assessoria de imprensa para atuação nacional Assessoria de imprensa para expansão de redes de franquias
Assessoria de imprensa estratégica para atuação nacional
Saiba Mais

Newsletter

Receba novidades sobre o mercado de comunicação empresarial e sobre a Ato Z Comunicação. Cadastre-se!